Combate à Violência contra a Pessoa Idosa.
Por esta razão, a Secretaria Municipal Saúde, por meio do NASF promoveram nesta na última terça-feira (6), uma palestra para conscientizar a população sobre os direitos dos idosos, e mais do que isso: reforçar a necessidade da família, do estado e da sociedade quanto a garantia dos seus direitos.

A ação ocorreu no centro da 3 idade. Foram promovidos momentos roda de conversas, relatos de violência e conscientização, no intuito de desenvolver a autoconfiança, a autoimagem e a socialização do idoso por meio de atividade coletiva.

A professora de Educação Física Marta realizou alguns exercícios direcionados ao idoso. Logo após o assistente social José Batista, que explicou os tipos de violência existentes, contra o idoso pode ser física (agressão e até administração abusiva de medicamentos), psicológica (manipulação, intimidação e ameaças), negligência (negação de afeto, falta de comunicação), abuso financeiro (abuso não consentido dos recursos financeiros e patrimoniais do idoso), violência sexual ou ainda a autonegligência (quando a própria pessoa idosa tem comportamento que ameaça sua segurança.

Os Núcleos Ampliado de Saúde da Família (NASF-AB) foram criados pelo Ministério da Saúde em 2008 com o objetivo de apoiar a consolidação da Atenção Básica no Brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços, assim como a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações.

Atualmente regulamentados pela Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011, configuram-se como equipes multiprofissionais que atuam de forma integrada com as equipes de Saúde da Família (eSF), as equipes de atenção básica para populações específicas (consultórios na rua, equipes ribeirinhas e fluviais) e com o Programa Academia da Saúde.

Esta atuação integrada permite realizar discussões de casos clínicos, possibilita o atendimento compartilhado entre profissionais tanto na Unidade de Saúde como nas visitas domiciliares, permite a construção conjunta de projetos terapêuticos de forma que amplia e qualifica as intervenções no território e na saúde de grupos populacionais. Essas ações de saúde também podem ser intersetoriais, com foco prioritário nas ações de prevenção e promoção da saúde.

Com a publicação da Portaria 3.124, de 28 de dezembro de 2012, o Ministério da Saúde criou uma terceira modalidade de conformação de equipe: o NASF 3, abrindo a possibilidade de qualquer município do Brasil faça implantação de equipes NASF, desde que tenha ao menos uma equipe de Saúde da Família.

Médico acupunturista; assistente social; profissional/professor de educação física; farmacêutico; fisioterapeuta; fonoaudiólogo; médico ginecologista/obstetra; médico homeopata; nutricionista; médico pediatra; psicólogo; médico psiquiatra; terapeuta ocupacional; médico geriatra; médico internista (clínica médica), médico do trabalho, médico veterinário, profissional com formação em arte e educação (arte educador) e profissional de saúde sanitarista, ou seja, profissional graduado na área de saúde com pós-graduação em saúde pública ou coletiva ou graduado diretamente em uma dessas áreas.